Vim de Angola ee, Vim de Angola
@Vim de Angola e camarada Vim de Angola
coro
Eu vim de Angola, eu vim pra lutar
Eu vim de Angola, pra te libertar
coro
Eu vim de Luanda, Lubique e Guine
Pra vencer essa luta, vai ter que ter fe

coro



Vem ver vem ver Ouca o berimbau tocar
@@Vem ver vem ver O menino vem pra ca
Refrao
berimbau que toca uma Angola  um lamento vou cantar
lembrancas dos velhos tempos  de Pastinha e waldemar
Refrao
uma reza cantada  e dois cabras pra jogar
num dsafio de morte  e a capoeira camara
Refrao



Capoeria e um jogo Antigo
que um dia os escravos criou
Na senzala o negro gemia
Do bater do chicote uma dor
Mas com a tal Capoeira
O negro se libertou
dava martelo e rasteira
jogava no chao o feitor

Que luta e essa que o negro criou?
E a Capoeira@que me libertou@



Toca meu gunga berimbau viola
vai ter capoeira esse jogo de Angola
coro
Berimbau viola  Berimbau viola
coro

Faco uma prace  uma oracao
O bom angoleiro se arrasta no chao
coro



(oh!)prepara o arame enverga a madeira de jequitiba
pega a moeda e a cabaca caxixi na feira que eu quero comprar

Meu berimbau ieie  Olha meu berimbau oh! camara
Ele e enfeitado com lencos e fitas e conchas do mar
coro
Ele e enfeitado com lencos e fitas e conchas do mar

Eu enfrento o sereno desprezo o veneno dessa solidao
Rezo o sao bento grande, sao bento pequeno conforme a razao
Sacode o medo nao falho@@(Oi)moleque aprenda licao
coragem nunca se cala@@vence quem tem coracao
Eu em pe na senzala @Negro se ajoelha fazendo oracao

coro
Ele e enfeitado com lencos e fitas e conchas do mar
coro
Ele e enfeitado com lencos e fitas e conchas do mar

Vem menino vem descendo a ladeira
no cais dourado vai ter capoeira pra matar
Danca morena faceira, @(oi)vadeia na beira do mar
negro vem de Candeia vem da Cabeleira chega pra jogar

coro
Ele e enfeitado com lencos e fitas e conchas do mar
coro
Ele e enfeitado com lencos e fitas e conchas do mar
Ele e enfeitado com lencos e fitas e conchas do mar
Refrao
Ele e enfeitado com lencos e fitas e conchas do mar
Refrao



O gaviao e um passaro guerreiro
Quando chega no terreiro Pega o pinto que ele quer

Refr
ao

Bateu sabia cantou

Bateu asa e voou  foi morrar no abaete e


Refr
ao

Currupi
ao currupiao currupiao
Pinto correu com medo do gaviao

coro